terça-feira, 27 de dezembro de 2011

Aquisições da quadra natalícia!

    


   


  




Estas foram as minhas ofertas..e quais foram as vossas?

quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

A filha dos mundos, Inês Botelho

 
"Ailura teve uma infância repleta de contos de fadas, elfos e duendes, de todo um mundo mágico e maravilhoso. Mas, como todas as crianças, cresceu e, lentamente, esqueceu esse mundo encantado, até que deixou de acreditar que a barreira que separa o nosso mundo dos sonhos e do maravilhoso não é mais espessa que o próprio ar."

Este é o primeiro livro da trilogia o Ceptro de Aerzis de Inês Botelho. È uma jovem escritora portuguesa com uma imaginação soberba.
Gostei muito deste primeiro livro, que já foi lido a algum tempo, e do mundo mágico descrito. Encontrei algumas semelhanças com “o Senhor dos Anéis” a nível da descrição do mundo, mas o enredo em si é diferente.
Ailura desconhecia as origens do pai e aí neste livro que as descobre, como também redescobre-se a si mesma. Irá descobrir que afinal não é quem julga ser.
Ela entra num mundo de fadas, elfos e duendes. È um mundo atormentado por Morgriff (O senhor do mal) que quer ter na sua posse o ceptro de Aerzis para governar o mundo.
Ailura vai ter uma grande tarefa a seu cargo, tentando combater Morgriff com o Ceptro de Aerzis.
A todos os amantes deste tipo de leitura épica e mágica ou mesmo os amantes de uma boa aventura este livro é recomendado!
4- Muito Bom

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

Não vou chorar o Passado, Tiago Rebelo

Não Vou Chorar o Passado"Quando Joaquim e Alice saíram juntos pela primeira vez, nenhum dos dois sabia ainda que o futuro lhes reservava uma surpresa. Alguns dias antes, numa conferência de imprensa, os seus olhares cruzaram-se e ambos tiveram a certeza de que queriam conhecer-se melhor. O amor que sentiam crescer a cada momento parecia-lhes que seria eterno. Mas, perdidos no fascínio da descoberta, nem por um instante suspeitaram de que não era a primeira vez que a história das suas vidas se cruzava, que o passado viria a influenciar de forma tumultuosa o presente, pondo em risco o equilíbrio daquele amor recente. Aquele homem afável com um passado secreto encarregara-se de os juntar, e Joaquim e Alice apaixonaram-se sem imaginar que estavam a ser manipulados. Afinal, quem era este misterioso homem e que história obscura escondia? Que obsessão era aquela que o levara a vigiar de perto a carreira de Alice? Não Vou Chorar o Passado é uma história de amores levados ao extremo, de revelações extraordinárias, em que décadas distantes se entrelaçam de forma dramática, um livro que prova a enorme capacidade de Tiago Rebelo em conferir aos seus romances uma carga psicológica e afectiva que prende o leitor da primeira à última linha."

Opinião:
Com este livro tive a minha estreia com Tiago Rebelo.
Em geral é um livro leve, com uma leitura muito fluida ideal para dias de stress intenso.
Amei o título. Por momentos leva-nos a pensar no nosso próprio passado e o que se passou de menos bom nele que no presente possa fazer-nos chorar e entristecer e então surge um basta. Não vamos chorar o passado!
Eu gostei essencialmente das primeiras páginas do livro que se trata do passado dos protagonistas, nomeadamente o que se passou na vida dos seus progenitores.
A leitura do livro inicia-se com um acidente de comboio (com o pai de Alice) que faz-nos sentir dentro do próprio comboio e em câmara lenta parece que sofremos o dito cujo acidente.
Depois, passamos para uma perspectiva totalmente diferente em que viajamos até à Madeira, o que eu gostei muito, e posteriormente acomapanhamos os pais de Joaquim e as dificuldades da emigração neste caso para a Venezuela.
Depois de algumas peripécias que aconteceram aos pais de Joaquim, passam-se uns anitos e estamos no presente com Alice e Joaquim.
Achei que eles se apaixonaram demasiado depressa e que a partir de aí a história de ambos passou a correr e tudo se tornou demasiado óbvio.
Contudo pairava no ar, o anonimato do homem que os tinha juntado. Quando descobri quem fora, não achei muita piada até porque é um bocado estranho e bom demais o seu aparecimento após tanto tempo e até porque para mim não fez muito sentido depois de tudo o que se passou.
Resumindo gostei do livro, essencialmente da primeira parte e quanto à segunda parte, achei uma paixão muito simples e fácil, o que é muito raro nos dias que correm. Esperava mais da segunda parte do livro. No entanto não deixa de ter um 3- BOM
Boas leituras. 

domingo, 4 de dezembro de 2011

Curiosidades...


Caros leitores,
Vamos a contas...
Quantos livros possuiu a vossa biblioteca pessoal?
Vou proceder á contagem da minha e um dia desses já digo, é porque perdi a conta lol
Bom inicio de semana :)